O diabetes é uma doença crônica que atingem pessoas de diferentes idades em qualquer lugar do mundo. No Brasil, estima-se que existam mais de 13 milhões de pessoas diabéticas. O equivalente a 6,9% de toda a população.
Com esse número crescentes de pessoas portadoras da doença, é essencial que saibam como conviver com ela. Entretanto, antes de citarmos alguns cuidados fundamentais, é importante entendermos do que se trata a doença.

O que é Diabetes?


O diabetes é acarretado pela falta de insulina no corpo, seja porque o organismo não consegue produzir o hormônio ou pela sua ineficiência em empregar adequadamente a insulina que produz.
A insulina é um hormônio que tem como objetivo controlar a quantidade de glicose no sangue. O corpo necessita desse hormônio para utilizar a glicose, que obtemos por meio dos alimentos como fonte de energia. Contudo, como a diabetes prejudica o funcionamento da insulina, o nível da glicose aumenta no sangue – ou seja, a famosa hiperglicemia. Se esse quadro se estender por um longo período, causam danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

Cuidados que Diabéticos devem ter

Quando uma pessoa recebe o diagnóstico de diabetes, a atenção aos pequenos detalhes do cotidiano deve ser redobrada, para evitar as complicações consequentes da doença.

Procure um médico: É ideal buscar ajuda de um profissional para que ele indique um plano alimentar adequado. Normalmente, é recomendado o consumo de fibras, pois elas atuam no controle glicêmico, além da limitação na quantidade de carboidratos ingeridos.

Evite o açúcar: Sempre que possível, faça uso de adoçantes.

Não fume: Esse hábito pode gerar séria complicações, como por exemplo o aumento dos riscos de doenças cardíacas. Alguns estudos sugerem, inclusive, que o tabagismo pode ser um fator desencadeante da doença.

Não se automedique: nunca tome remédios por conta própria, alguns deles podem elevar os níveis de glicose no sangue.

Faça consultas regularmente: esteja sempre vigiante a doença. Consulte seu médico e verifique se os níveis de glicose estão de acordo com as metas por ele estabelecidas. É importante também, ter atenção e verificar a pressão, colesterol e triglicérides.

Faça exercícios: A prática de exercícios é uma forma de prevenção de diversos males causados pela doença. As atividades físicas estimulam a produção de insulina, queimam a gordura corporal, aumentam a sensibilidade das células à insulina e elevam a capacidade dos músculos de reter a glicose.

Fique atento aos pés: A perda de parte da sensibilidade nos membros inferiores dos diabéticos é comum. Em geral, a parte mais afetada são os dedos e outras áreas do pé. Desta forma, feridas, cortes, rachaduras, calos podem surgir sem que percebam e, também são perigosos para instalação de fungos e bactérias.
É importante ressaltar que o sistema imunológico de um diabético é menos eficaz do que de uma pessoa sem a doença.
Portanto, um pequeno machucado pode infeccionar e evoluir para um episódio mais grave de gangrena. Onde em alguns casos, é necessária cirurgia de amputação e as complicações ficam cada vez mais sérias, já que novos focos de infecção podem surgir a cada incisão.



Cuide da saúde bucal: Embora pareça algo simples, a higiene bucal após cada refeição é fundamental para os diabéticos. Isso porque, normalmente, eles estão mais sujeitos à periodontite, doença que ataca gengivas, dentes e suportes dentários. Muitas vezes indolor, que pode levar a infecções generalizadas. Além disso, o “sangue doce” dos portadores da doença, com alta concentração de glicose, é mais propício ao desenvolvimento de bactérias.  

 

ATENÇÃO! Siga todas as regras estabelecidas pelo seu médico e fique atento as regrinhas básicas para conviver com a doença de forma mais fácil e com segurança.
Pessoas que não controlam apropriadamente o diabetes podem sofrer com cegueira, insuficiência renal, derrame, úlceras, amputação de membros, incontinência urinária, deficiência cognitiva, entre diversos outros problemas graves.